quarta-feira, maio 22, 2013

CHEGANDO DE MANSINHO



CHEGANDO DE MANSINHO!
(Um dia escrevi sem que nem mais de madrugada)
Pelo medo de amar, o primeiro instinto,
Foi de  me proteger de mim mesma,
Proteger-me de meu próprio coração,
Mas como seria amar novamente?
Quando se ama, fica-se exposto
Aos perigos do amor, não quero sofrer.
Tenho medo de errar de novo,
Sem freios, esse meu coração bobo,
Irremediavelmente se entrega ao léu.
Daí sempre me proteger disso,
Pra não passar por tudo de novo
Sofrimentos que não tiveram fim.
Criei uma barreira para isto,
Muros em torno de mim mesma
A um passado não muito distante

Mas...

Daí você chegou de mansinho
Veio como quem nada quer
Se aproximou bem devagarinho
Sem pretensão, um lindo homem.
E foi se alojando aos poucos
Sem perceber eu já era sua
E você já era meu... Dois loucos!
Ah, este meu coração fariseu!

Beijos I♥Ó

Postar um comentário