segunda-feira, abril 30, 2012

IÇO-ME SEM NÓS...

 
 
 
Iço-me
sem nós de corda
sem nós nos dedos

Sou cometa
... acordando-te a noite
fustigando em labareda
o corpo que te cresce

Ardes-me dentro
Sabes-me a sal

Subo-te
e galopo-te a espuma
das ondas em crina
que me deixam sem freio

e danço-te
com as pontas dos pés
em espasmo
Postar um comentário