sábado, maio 07, 2011

HOMENAGEM A TODAS AS MÃES, ESPECIALMENTE À MINHA QUERIDA MÃEZINHA!

MINHA MÃE, MÃEZINHA!

Vendo-te hoje, no mais obscuro dos teus pensamentos, tão vaga, tão leve, passa um filme em minha cabeça, recordando até onde sei, tua vida desde tenra idade, a infância, a adolescência, a juventude, a vida adulta, enfim a 3ª idade e a tua velhice até agora. E o que tenho para resumir: muito amor desta pessoinha, sábia, muitas vezes incompreendida por não compreenderem tua capacidade de amar.

Eu te amo, mãe! Amo-te tanto que meu pensamento explode em uma só palavra:

MAMÃE!

Tua filha IÓ





MÃE


Deixa-me acariciar teus cabelos,


Secar tuas lágrimas, beijar teu ventre.


Tu és a terra, úmida e quente,


és o vento, invisível e presente,


és o mar, intransponível e envolvente.


Quero fechar meus olhos no teu abraço,


sentir teu cheiro no meu cansaço.


Dormir, sonhar, acordar com tua presença,


seguir meu caminho com tua benção.


Quem teve a idéia de te criar?


Certamente foi o lado de Deus carente


que tudo tem, mas, de mãe ausente,


que decidiu, então, dar-te de presente,


à nós, seus filhos,


para que tu nos acompanhes no exílio,


para que nos acolhas ao nascer


e nos abras os céus ao morrer.


Meu Criador, o que tanto te comoveu?


faltava algo no teu eu?


Ou foi de caso pensado


uma mãe ter-nos dado?
Postar um comentário